segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Programação da Semana de 04 a 10 de dezembro de 2016



PROGRAMAS PRODUZIDOS PELA FASE TV:

Programa EM QUESTÃO
Tema: Os desafios da aprendizagem
A educação é uma arte em permanente construção. Aprender não é só memorizar informações. É preciso saber relacionar esses dados. Dar significado a eles. Refletir sobre o que está sendo estudado. Nos últimos anos, a neurociência está ajudando a entender como funciona todo esse mecanismo de aprendizagem. Como os estímulos chegam ao cérebro e como as memórias são consolidadas e acessadas. O Em Questão sobre os desafios da aprendizagem tem como convidado o pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz e professor da Faculdade de Medicina da Bahia, Manoel Barral-Netto. O episódio faz parte da série “Você tem fome de que?”, tema da 22ª Semana Científica da FMP/Fase.
Em Questão: Domingo, 21h
                     Segunda, 15h
                     Terça, 20h
                     Quarta, 18h
                     Quinta, 12h
                     Sexta, 9h e 21h
                     Sábado, 12h e 18h
                
Programa ARTE & CULTURA                
Tema: Cultura Cigana
O povo cigano é formado por uma pluralidade de etnias. Os clãs mais conhecidos são: Calon, Roma, Kalderash, Moldowaia, Sibiaia, Horahano, Lovaria, Mathiwia e Sinti. Estima-se que existam hoje quase 10 milhões de ciganos no mundo. A maior parte vivendo no continente europeu. O Brasil reúne 1 milhão de ciganos, de diferentes clãs. Os Calon chegaram no século XVI, no início do processo de colonização portuguesa. Já os Roma, vieram no contexto da imigração europeia, nos séculos XIX e XX. O Arte & Cultura aborda a cultura cigana com as participações do presidente da União Cigana do Brasil, Mio Vacite, da bailarina Dvorah Darah e do agente cultural Roberto El Martini.
Arte & Cultura – Domingo, 12h e 18h
                            Segunda, 18h
                            Terça, 9h e 21h
                            Quarta, 15h
                            Quinta, 20h
                            Sexta, 18h
                            Sábado, 9h e 21h
                           



Programa AO REDOR
Tema: Lâmpadas solares de garrafa
O programa acompanha a história de um empreendedor social das Filipinas que conseguiu, de forma simples e barata, diminuir o sofrimento das famílias que não tem acesso à energia: As lâmpadas solares de garrafa. Uma tecnologia desenvolvida com a ajuda de jovens universitários dos Estados Unidos.
Ao Redor: Terça, 14h30
                
Sexta, 10h
                 Domingo, 13h
          
Programa MINUTO FASE
Tema: Semana científica 2016 – Loucura suburbana
A revisão do modelo de atenção à saúde mental foi um dos temas abordados na vigésima segunda Semana Científica da FMP/Fase. A palestra foi seguida de debate com o público sobre a luta antimanicomial. A programação contou ainda com a intervenção do bloco Loucura Suburbana, formado por pacientes, familiares e funcionários do Instituto Municipal Nise da Silveira, no Engenho de Dentro, no Rio de Janeiro
Minuto Fase: Nos intervalos, ao longo da programação.

Programa MINUTO FASE
Tema: Especial Responsabilidade Social
O projeto Manta Térmica, desenvolvido pela Unidade de Saúde da Família da Estrada da Saudade, administrada pela FMP/Fase tem como meta combater ao mesmo tempo dois problemas detectados na comunidade: a grande quantidade de lixo nas ruas e a precariedade das construções, o que leva os moradores a ficarem
expostos tanto ao frio excessivo de inverno quanto ao calor do verão. O projeto é
baseado em uma tecnologia social que já é empregada com sucesso no sul do país.
As caixas de leite ou suco que se acumulavam nas lixeiras, agora são recicladas e
viram matéria-prima para a confecção de chapas de isolamento térmico.
Minuto Fase: Nos intervalos, ao longo da programação.


Programa MINUTO FASE
Tema:
Entrega de cadeiras de rodas (Vale do Carangola)                                                           Mais mobilidade na vida de seis moradores do Vale do Carangola, em Petrópolis. Familiares de pacientes com dificuldades motoras receberam cadeiras de rodas doadas pela FMP/Fase, através do projeto Anel de Solidariedade. Todos são cadastrados na Unidade de Saúde da Família da comunidade. O projeto que une acessibilidade e meio ambiente foi criado em 2012 por acadêmicos de Medicina. Hoje a campanha mobiliza toda a faculdade, com o objetivo arrecadar lacres de latas de alumínio trocados por cadeiras de rodas. Em quatro anos, já foram arrecadados anéis suficientes para a troca por 73 cadeiras.



FAIXA INTERATIVA -

DOMINGO – ARTE & CULTURA – NÉLIDA PIÑON

SEGUNDA – EM QUESTÃO – DEPRESSÃO
TERÇA – ARTE & CULTURA – EUGÊNIO FERNANDES
QUARTA – EM QUESTÃO – ENFERMAGEM E PREVENÇÃO: O CUIDADO COM O ADOLESCENTE
QUINTA – ARTE & CULTURA – MAURÍCIO MEMÓRIA
SEXTA –  EM QUESTÃO – TRANSTORNO DO DÉFICIT DE ATENÇÃO
SÁBADO – ARTE & CULTURA – CALEBE PIMENTEL + CULINÁRIA DA SERRA
Faixa Interativa: Diariamente em quatro horários: 5h, 11h, 17h e 23h


PROGRAMAS PRODUZIDOS POR PARCEIROS DA FASE TV:


Programa TOME CIÊNCIA             
Tema: Os jovens campeões da ciência  

Medalha de ouro de brasileiro nas olimpíadas, seja qual for o esporte, produz uma enorme repercussão, com direito a foto na primeira página do jornal. A notícia que quase não sai nos jornais – ou sai escondidinha – é a quantidade de medalhas brasileiras em olimpíadas científicas para jovens. E não são poucas as medalhas e títulos. O Brasil já participa em 10 disciplinas, sem falar que temos 12 nacionais – consideradas sempre como um estímulo para despertar talentos científicos. Se sabidamente temos deficiências educacionais, quem seriam estão esses gênios? Como são vistos pelos colegas – especialmente nos casos de física e matemática? E será que se transformam depois em cientistas. O programa reuniu um grupo representativo desses medalhistas de vários níveis educacionais. Em cena, 56 medalhas de ouro, prata e bronze.
TomeCiência:Quarta,21h                                                                                                         Domingo, 15h

Programa LIGADO EM SAÚDE           
Tema: Tétano
O programa vai falar sobre tétano, doença que a maioria associa apenas a ferimentos com ferro enferrujado, mas que pode ser contraída de outros materiais onde a bactéria causadora também pode estar presente. Apesar da vacina antitetânica ser gratuita e estar disponível na rede pública de saúde, ainda há pessoas que morrem com a doença. O episódio vai mostrar também como é o esquema de vacinação contra o tétano e os materiais e ambientes onde a bactéria pode estar. A apresentadora Marcela Morato conversa sobre o assunto com o infectologista da Sociedade de Infectologia do Estado do Rio de Janeiro (SIERJ), Walter Tavares.
Ligado em Saúde: Terça, 8h
    Quarta, 14h       
    Domingo, 19h30

Programa CIÊNCIA & LETRAS                 
Tema: A dinâmica do sistema produtivo da saúde
O processo de desenvolvimento de um novo medicamento envolve um horizonte de 10 a 15 anos e um dispêndio superior a um bilhão de dólares. Por outro lado, o impacto terapêutico de muitas inovações é questionável e ainda persiste grande controvérsia quanto ao que é classificado pela indústria como gasto com pesquisa e desenvolvimento e gasto com marketing.
Ciência & Letras: Domingo, 14h
                             Segunda, 13h
                             Quinta, 19h30


Programa CANAL SAÚDE NA ESTRADA                                          
Tema: Rio de Janeiro – RJ/ Niterói
No Rio, o Estrada mostra o programa de monitoramento de gestantes de risco, que liga para grávidas atendidas pela Estratégia de Saúde da Família, do Sistema Único de Saúde (SUS), para garantir atenção integral a elas e a seus bebês. Já em Niterói, a equipe do programa descobre como o centro de convivência da Rede de Saúde Mental da cidade utiliza a cultura e o trabalho para promover a inclusão social.
Canal Saúde na Estrada: Segunda, 19h
                                         Sábado, 14h30

Programa EM FAMÍLIA                      
Tema: Educação Financeira
As dificuldades e os caminhos para organizar a vida financeira de uma família são complicadas. Especialmente em tempos de crise, mostraremos no programa, quais as melhores formas de manter as finanças familiares saudáveis.
Em Família: Quarta, 16h
                    Domingo, 22h

Programa UNIDIVERSIDADE                            
Tema: Descentralização do SUS
O Médico Sanitarista / Consultor COSEMS-RJ, Rodrigo Oliveira, o analista em Saúde, Ana Clara Viola, a pesquisadora da ENSP/Fiocruz, Luciana Dias e a professora pesquisadora da EPSJV/Fiocruz, Adelyne Mendes discutem um dos princípios fundamentais do SUS: o conceito de descentralização da gestão e das políticas da saúde no país, feita de forma integrada entre a União, Estados e Municípios.
Unidiversidade: Quinta, 16h
                              Domingo, 14h30

Programa HISTÓRIAS DE MÃE
Tema: Exercício físico na gravidez e a escolha da escola
Atividade física na gravidez. Será que a gestante pode praticar exercício? Fomos a um estúdio de pilates descobrir como as mães podem cuidar do corpo e da saúde. E ainda: a opinião de uma ginecologista/obstetra sobre a atividade física durante a gestação
Histórias de Mãe: Quarta, 20h30
                              Domingo, 13h30

Programa FASE.DOC
Tema: Heróis do clima: Histórias e mudanças
O ator e embaixador da Boa Vontade do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), Ian Somerhalder, narra um documentário inspirador que leva o espectador a uma viagem por todo o mundo para conhecer as pessoas que estão agindo para frear a mudança climática. O documentário traz nove histórias inspiradoras – em lugares como Índia, Gana, Austrália, Bangladesh, Quênia, México, Filipinas e China – mostrando ações sobre as mudanças climáticas que estão criando postos de trabalho, melhorando a vida de muitas pessoas e transformando sonhos de um futuro melhor em realidade.
FASE.Doc: Terça, 18h
                  Domingo, 20h

Programa FASE.DOC
Tema: Um olhar sobre as regiões metropolitanas do Brasil
O vídeo traz entrevistas com especialistas, acadêmicos e cidadãos de Norte a Sul do país e conta um pouco do histórico de criação das regiões metropolitanas brasileiras, passando por marcos como a Constituição de 1988 e o Estatuto das Metrópoles. “Um olhar sobre as Regiões Metropolitanas no Brasil” recupera o debate sobre as dificuldades e os desafios de gestão nos municípios e fomenta a necessidade do envolvimento da população com o tema, estimulando a descoberta e o uso de indicadores e dados socioeconômicos como uma ferramenta de cobrança, ao poder público, e de transformação social.
FASE.Doc: Terça, 18h
                  Domingo, 20h


Programa SALA DE CONVIDADOS
Tema: Crimes Ambientais
Um seminário realizado na unidade da Fiocruz de Minas Gerais discutiu a situação social, ambiental e econômica da cidade de Mariana 6 meses após o desastre da Samarco.
Sala de Convidados: Segunda, 21h
                                  Sábado, 15h

Programa: BATE-PAPO NA SAÚDE
Tema: Judicialização da saúde    
É cada vez maior a quantidade de pessoas que entram na justiça para tentar obter algum tipo de atendimento ou remédio tanto na rede pública quanto na rede particular de saúde. Essa judicialização tem impactos no sistema de saúde. Por isso, o Bate Papo na Saúde conversa com a promotora de Justiça do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP/RJ), Carla Carruba, e com a assistente social do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz), Mariana Setúbal.
Bate-papo na Saúde: Quinta, 8h30
                                   Sábado, 19h

  
Programa: CURTA AGROECOLOGIA
Tema: Refloresta
No começo dos anos 1980, agricultores do sul do Brasil, expulsos de sua região pelo latifúndio, chegaram à fronteira do Acre com Rondônia para ocupar terras públicas. Enquanto tentaram reproduzir no norte os modelos de produção que utilizavam no sul, atravessaram um difícil período de pobreza e precariedade. Mas o aprendizado com extrativistas locais, a formação de uma associação e a reorientação radical da produção em direção ao extrativismo de produtos da floresta transformaram suas histórias. Em Nova Califórnia, Rondônia, vamos conhecer o projeto Reca, cooperativa que produz e comercializa, em escala, produtos da floresta amazônica.
Curta Agroecologia: Segunda, 16h
                                  Sábado, 22h

Veja também os noticiários: Resumo da ONU e Em Pauta na Saúde em quatro horários: 4h30, 10h30, 16h30 e 22h30


sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Driblando a dor da perda

Virgínia Ferreira
Psicanalista e professora da Faculdade de Medicina de Petrópolis (FMP/Fase)

Hoje, falarei sobre a vida, porém, a partir de uma perspectiva árida, mas muito real. O que é a vida senão o enfrentamento de uma série de perdas diárias? Perdemos a beleza do corpo, que está fadado à decadência e à falência; perdemos o emprego, alguns sonhos; perdemos pessoas que nos abandonam propositadamente, outras que nos abandonam nada intencionalmente, porque morreram; perdemos o carro porque roubaram, e a segurança para a violência.

Cada dia que vivemos é menos um dia que, no futuro, viveremos.  Que sufoco!!! Fato é que há sempre uma perda contra nossa vontade. Sempre. Cada perda exige um luto. Via de regra, as pessoas perdem e seguem driblando a dor da perda, como se ela significasse pouco. Perdeu a beleza do corpo, recorre ao bisturi; perde o emprego, diz que já era hora de sair e arrumar outro; perde um sonho, constrói outro; perdem pessoas que as abandonam propositadamente, diz que há males que vêm para o bem; perdeu o carro num roubo, dá graças a Deus por ter ficado viva, e assim se vai vivendo.

Mas, quando diante da perda por morte, o drible fica difícil ou até mesmo impossível. Se a pessoa que morreu era idosa ou estava muito doente, o drible é difícil, mas possível. Ele se traduz através da seguinte afirmativa: descansou. Se a pessoa que morreu era jovem, a dor e o inconformismo tomam conta. O drible só acontece com o tempo. Mas, diante das tragédias, quando dezenas de pessoas morrem juntas como no caso do desastre com a Chapecoense, a dor é insuportável, a comoção é grande.

Parece que é diante de uma tragédia que as pessoas se confrontam com a morte. Mas, quando digo tragédia, estou me referindo às tragédias não anunciadas. Isso porque as anunciadas não causam comoção. Por exemplo: quantas crianças morrem diariamente na África de fome? Quantos civis morrem vítimas dos confrontos no Oriente Médio? Quantas pessoas morrem em chacinas no Brasil?  

Tenho a impressão que as tragédias anunciadas são banalizadas, como se a perda de uma vida na tragédia anunciada tivesse menos valor do que a perda numa não anunciada. Não. A vida humana tem igual valor. Gostaria de ressaltar que respeito e me solidarizo com todas as famílias das pessoas que morreram no acidente aéreo. Bem, independentemente da perda, há sempre um luto que deve ser vivido. Inaugurar um luto e vivê-lo não significa que se deve mergulhar na dor e se fechar para a vida. Significa se permitir sentir a dor.

Toda perda traz em si sofrimento, dor, desconforto, e esses sentimentos precisam ser vividos. É difícil, mas necessário. Todo e qualquer sentimento precisa ser vivido. A repressão dos sentimentos antecipa a própria morte através das doenças físicas ou psíquicas ou pode representar a própria morte, a existencial, aquela que faz da pessoa uma morta viva.

Muitas vezes, quando a vida de um ser muito amado é interrompida pela morte, somos apresentados a uma dor da qual nunca mais conseguimos nos livrar. A partir dessa dor, que nos acompanhará até a nossa própria morte, temos duas saídas: ou a partir da dor nos alegramos e nos orgulhamos por ter tido o privilégio de ter amado ou sucumbimos à dor.


Finalizo este texto dizendo que quem foi apresentado ao amor, um dia, será apresentado à dor: a morte. Mas, se a vida é como uma moeda em constante rodopio, em constante movimento, a face do amor dará movimento à vida cada vez que a face da dor se apresentar.

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Evento sobre Radiologia acontece em Petrópolis

A Faculdade Arthur Sá Earp Neto (FMP/Fase) realizou o Iº Simpósio de Inovações Tecnológicas em Radiologia no último sábado (26). O evento teve como objetivo apresentar as novas tecnologias em Radiologia e o mercado de trabalho para o profissional da área. Além de o evento contar com a participação de profissionais renomados, alunos do curso também estavam presentes. E, na ocasião, um grupo do terceiro período apresentou um trabalho sobre osteoporose. “É uma honra realizar um evento desse porte na faculdade”, destaca o coordenador do curso Superior de Tecnologia em Radiologia da FMP/Fase, André Kinder.

Coordenador do Curso Superior de Tecnologia em Radiologia da FMP/Fase, André Kinder. 

Professor da FMP/Fase com a palestra “Radioterapia”, Alexandre Rabello. 

Professor da FMP/Fase com a palestra “Radioterapia”, Alexandre Rabello. 

Coordenador do Curso Superior de Tecnologia em Radiologia da FMP/Fase, André Kinder

Professor da FMP/Fase com a palestra “Radioterapia”, Alexandre Rabello. 

Primeiros Socorros

Na última quinta-feira (24), alunos do primeiro ano de Medicina da FMP/Fase realizaram uma atividade de primeiros socorros com adolescentes entre 10 e 17 anos, da comunidade Nova Cascatinha. Na ocasião, foram abordados assuntos como crise convulsiva, queimaduras, choque elétrico, engasgamento e identificação e manejo de parada cardiorrespiratória através de manobra de ressuscitação. O professor responsável pela atividade ressaltou que o mais importante é ligar para o Socorro o mais possível, através do 192.




sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Inscrições abertas para o concurso de Residência da FMP/Fase 2017


A Faculdade Arthur Sá Earp Neto (FMP/Fase) está com inscrições abertas para o Concurso de Seleção para Programas de Residência Médica, Residência Multiprofissional e Residência em Área Profissional da Saúde. Os interessados já devem começar a se preparar, pois a prova objetiva será aplicada no dia 14 de janeiro de 2017.

Os Programas de Residência da FMP/Fase possuem convênio com diversas instituições: Hospital de Ensino Alcides Carneiro (HAC), Instituto Nacional de Câncer (Inca), Unidades de Saúde da Família, Centros de Atenção Psicossocial, o Hospital Universitário Antônio Pedro, a Clínica de Olhos Dr. Tannure, entre outros cenários de prática.

Neste processo seletivo estão sendo oferecidas 39 vagas para Residência Médica, nas seguintes especialidades: Cirurgia Geral (03), Clínica Médica (04), Pediatria (05), Obstetrícia e Ginecologia (04), Medicina de Família e Comunidade (12), Anestesiologia (04), Radiologia e Diagnóstico por Imagem (03), Neonatologia (02) e Medicina Intensiva (02), estas duas últimas com pré-requisitos.

Além desses programas, a FMP/Fase oferece vagas em 2017 para os novos cursos de residência em Urologia (02) e Área profissional de Saúde em Enfermagem Obstétrica (04). A abertura das vagas está condicionada ao credenciamento pelas respectivas Comissões Nacionais de Residência Multiprofissional (CNRMS) e de Residência Médica (CNRM) e ao financiamento de bolsas pelos órgãos governamentais.

O Programa de Residência Multiprofissional em Atenção Básica oferece nove vagas para enfermeiros, nutricionistas e psicólogos. Já o Programa de Residência em Área Profissional da Saúde, de Enfermagem em Terapia Intensiva, dispõe de quatro vagas.

Todos os Programas de Residência da FMP/Fase estão integrados ao Pró-Residência do Ministério da Educação e do Ministério da Saúde e contam com 10% a 20% de aulas teóricas e 80% de carga de trabalho. A seleção consiste na prova objetiva e análise de currículo. Para a seleção de Residência Multiprofissional e em Área Profissional da Saúde será analisada somente a prova objetiva.

As inscrições estão abertas no site www.fmpfase.edu.br e podem ser realizadas até o dia 02 de janeiro de 2017. Outras informações: (24) 2244-6497 ou no próprio site da FMP/Fase.