segunda-feira, 29 de agosto de 2016

SUS, para aonde foi o sonho?

Paulo K. de Sá (*)  


É difícil nesse momento crítico do país, onde o acúmulo de erros aconteceu e proporcionou a grande crise que testemunhamos agora, fazer uma reflexão isenta de emotividade e tendências ideológicas. Em plena turbulência política e passando por grave crise de condução estrutural e organizacional, frente aos escândalos acumulados em torno de todas as tendências políticas, assistimos a inúmeras medidas aprovadas pelo Congresso Nacional, a toque de caixa, que nos fazem refletir sobre a pertinência das mesmas. 

Fato é que desde a Constituição Federal de 1988, a definição sobre a estrutura de financiamento do Sistema Único de Saúde (SUS) sempre foi deficitária em relação às necessidades de saúde da população brasileira, tanto de governos de esquerda como de direita. Inúmeras regulações foram realizadas através de normas operacionais e portarias ministeriais, que nem de longe conseguiam patrocinar as propostas encaminhadas. 

O resultado disso é que, embora o SUS tenha avançado do ponto de vista de sua organização e ampliação de cobertura, principalmente através da Estratégia de Saúde da Família, o processo de seu custeio ficou a desejar e proporcionou uma quebra nas contas dos governos municipais e estaduais. Poucos foram os municípios no país que conseguiram realizar investimentos de maior envergadura atendendo ao que se prega no SUS, como cobertura universal efetiva, equidade, integralidade da atenção à saúde, dentre outros. 

Muitos municípios morreram na praia ao tentarem realizar investimentos na atenção básica e se depararem com os elevados custos para cobrir a população que aspirava. A rede intermediária de suporte, os especialistas, foi esvaziada do sistema por força da competitividade do mercado privado e à baixíssima remuneração proposta pelo sistema público. A rede de alta complexidade obteve a remuneração ao nível do mercado privado e, por isso mesmo, foi para onde os recursos foram drenados com a adesão de muitas clínicas e hospitais privados, provocando uma contradição intrínseca no sistema. 

Ora, a proposta maravilhosa inspirada pela Reforma Sanitária, está agonizante. Primeiro porque está mergulhada em uma inviabilidade financeira de se atender aos princípios e diretrizes estabelecidos. Usurpada na sua possibilidade de gestão pela interferência, pela judicialização da saúde. E agora sucateada por uma sequência de atos impróprios do atual governo.  

Além da atual inviabilização do sistema, as instituições públicas formadoras na área da saúde se veem sucateadas. As privadas, limitadas pela crise econômica. O mercado privado é refém e propulsor de distorções nas relações de trabalho e o SUS não possui uma proposta decente e concreta de carreira para o profissional de saúde. 

Educação e Saúde podem se dar as mãos, as duas áreas mais importantes de uma sociedade estão agonizantes e demonstram claramente os rumos da sociedade brasileira, esgarçada e indignada com tudo que está em curso. Porém a esperança está no acordar político da população brasileira que estava comodamente hibernada diante de um predomínio ideológico inexorável diante da expansão voraz do capitalismo no mundo inteiro.  

Um novo Brasil está acordando, mas ainda teremos choros e ranger de dentes até que a calmaria venha a prevalecer mediante a formulação de uma nova proposta pela sociedade brasileira devidamente articulada e amadurecida e que não seja a reedição do velho estado colonial de sempre. 


(*) Médico e coordenador do curso de Medicina da FMP/Fase (RJ)  

Programação da Semana de 28 de agosto a 3 de setembro de 2016



PROGRAMAS PRODUZIDOS PELA FASE TV:


• Programa EM QUESTÃO
 Tema: Transtorno do Déficit de Atenção
○ O Transtorno do Déficit de Atenção é uma alteração neurobiológica na região frontal do cérebro. Essa área é responsável pelo autocontrole e pela atenção. É fundamental também para a memória, a organização e o planejamento. O transtorno atinge de 3 a 5 por cento das crianças e frequentemente acompanha a pessoa por toda a sua vida. O Em Questão aborta o tema com as participações da psiquiatra Maria Fernanda Bassères, da psicopedagoga Ana Helena Tibiriçá, coordenadora do Núcleo Pedagógico da FMP/Fase, e da coordenadora do mais novo curso da FMP/Fase, o curso de Psicologia, Rovena Paranhos.
 Em Questão: Domingo, 21h; Segunda, 15h; Terça, 20h; Quarta, 18h; Quinta, 12h; Sexta, 9h e 21h; Sábado, 12h e 18h;

 • Programa ARTE & CULTURA
 Tema: Coral das Meninas dos Canarinhos de Petrópolis
○ O Arte & Cultura traz a história de um dos mais tradicionais corais da Cidade Imperial: o Coral das Meninas dos Canarinhos de Petrópolis. Com quase três décadas de existência, o coro apresenta um repertório formado por música sacra, folclórica e popular. O episódio tem a participação do maestro Marcelo Vizani, regente do coral desde 1998. Ela fala de sua trajetória e do trabalho realizado com o grupo de meninas, com apresentações por todo o Brasil e em Portugal. O maestro também relata a gravação do 1º disco e fala de espetáculos marcantes, como o Tour da Experiência.
 
Arte & Cultura – Domingo, 12h e 18h
Segunda, 18h
Terça, 9h e 21h
Quarta, 15h
Quinta, 20h
Sexta, 18h
Sábado, 9h e 21h
 
• Programa Ao Redor
 Tema: Hidrelétricas/Amazônia – Temperos Zanzibar - Cemitério Digital/ Ghana
○ O programa mostra o conflito Energia X Meio Ambiente, no Brasil: a preocupação com as barragens e hidrelétricas que estão sendo construídas em rios da Amazônia. O Ao Redor viaja até Zanzibar para revelar como uma mudança na forma de cultivo está ajudando pequenos produtores de temperos a superar a condição de pobreza em que se encontra a maior parte dos agricultores da região. O episódio apresenta também um problema crescente e preocupante em Ghana: os depósitos de lixo eletrônico, que já estão sendo chamados de cemitérios digitais. Uma ameaça ao meio ambiente e à saúde das pessoas que trabalham nesses aterros.
 Ao Redor: Terça, 14h30; Sexta, 10h; Domingo, 13h;

• Programa MINUTO FASE
Tema: Semana de Carreiras (COLÉGIO PH)
 ○ A FMP/Fase participou da décima quinta edição da Semana de Carreiras do Colégio PH, no Rio de Janeiro. Alunos dos cursos de Medicina e Nutrição levaram um diferencial para a feira de profissões: atividades práticas onde os alunos do colégio puderam participar de processos que fazem parte da rotina hospitalar.Minuto Fase: Nos intervalos, ao longo da programação.
• Programa FAIXA INTERATIVA:

DOMINGO – ARTE & CULTURA – NÉLIDA PIÑON
SEGUNDA – ARTE & CULTURA – MARCELO MELLO JR + EUGÊNIO FERNANDES
TERÇA – EM QUESTÃO – DESINDUSTRIALIZAÇÃO
QUARTA – ARTE & CULTURA – BRUNO SAGLIA + ARTESANATO BRASILEIRO
QUINTA – EM QUESTÃO – ÉTICA NA CIÊNCIA E NA EDUCAÇÃO 
SEXTA – ARTE & CULTURA – REGINA GUIMARÃES + SIGRID HAACK 
SÁBADO – EM QUESTÃO – A LUTA DE CADA UM - UM PROJETO DE INCLUSÃO

Faixa Interativa: Diariamente em quatro horários: 5h, 11h, 17h e 23h

PROGRAMAS PRODUZIDOS POR PARCEIROS DA FASE TV:

• Programa TOME CIÊNCIA
 Tema: Peixes da Amazônia
○ Os peixes fazem parte das lendas e mistérios da Amazônia. Inclusive o boto, que nem peixe é, mas na crendice popular se transforma em jovem sedutor que engravida donzelas. No mundo, esta espécie de golfinho mobiliza campanhas de proteção, pois enfrenta a triste realidade de ser morto só para servir de isca na pesca da piracatinga, que tem bom valor comercial. E nada mais misterioso que os peixes elétricos, capazes de dar choques de 500 volts quando ameaçados. Uma verdadeira bateria biológica natural, que ainda não somos capazes de reproduzir. Em busca do aumento do conhecimento, os centros de pesquisa na Amazônia se dedicam ao estudo de pelo menos 3 mil espécies da região. Os convidados são especialistas em peixes – o principal alimento das comunidades ribeirinhas e do interior, ao lado da farinha de mandioca. 
Tome Ciência: Quarta, 21h
Domingo, 15h


• Programa LIGADO EM SAÚDE
 Tema: H1N1
○ Antes mesmo da chegada do inverno – quando os casos de infecção respiratória aumentam - o vírus H1N1 causou mortes e complicações em pacientes brasileiros. Houve uma corrida à vacinação. A campanha encerrada em maio alcançou 80% do público-alvo. Os casos de H1N1 levantaram muitas dúvidas: Diante de quais sintomas devemos procurar um serviço de saúde? É necessário saber qual foi o vírus responsável pela gripe antes de iniciar o tratamento? Em que casos o antiviral Tamiflu é indicado? O Ligado em Saúde responde a essas perguntas.

Ligado em Saúde: Terça, 8h
Quarta, 14h Domingo, 19h30

• Programa CIÊNCIA & LETRAS
 Tema: Crianças, Adolescentes e Crack
○ O crack é derivado da cocaína, substância extraída da folha de coca. Há relatos da prática de mastiga-la desde 5 mil anos antes de Cristo. A cocaína sintetizada em laboratório a partir de 1859 pode chegar ao consumidor como pó, pedra ou pasta. O nome crack originou-se do som que emite ao ser aquecido. O uso provoca efeitos imediatos, que duram de 5 a 7 minutos, quando o humor rapidamente muda e o usuário é compelido a repetir o processo de forma a recuperar a euforia do clímax. O livro “Crianças, Adolescentes e Crack – Desafios para o Cuidado”, de Simone Gonçalves de Assis, é a obra debatida no programa desta semana.
 
Ciência & Letras: Domingo, 14h
Segunda, 13h
Quinta, 19h30

• Programa CANAL SAÚDE NA ESTRADA
 Tema: Salvador- BA
○ O programa mostra duas iniciativas bem-sucedidas em saúde pública na capital baiana: o CEDEBA, Centro de Endocrinologia e Diabetes da Bahia, é modelo na área de educação e atendimento multiprofissional na América Latina. Num único local, pacientes adultos, idosos e crianças encontram toda assistência necessária para o tratamento adequado da doença. E na periferia de Salvador o projeto Adolescer com Arte, criado na Unidade de Saúde Mata Escura, é exemplo de como falar de questões de saúde para adolescentes.
 Canal Saúde na Estrada: Segunda, 19h Sábado, 14h30

• Programa EM FAMÍLIA
 Tema: Festa de Criança
○ Festa é palavra do latim que significa celebração, dia de luz. Mas para as crianças, é mais que isso. Festa de criança é evento para guardar na memória, nos álbuns de fotos e atualmente, em muitos casos, nas redes sociais. Mas há quem diga que não é preciso grandes produções para fazer a alegria de uma criança ou até um bebê no dia do aniversário. É isso que o programa desta semana mostra.
 Em Família: Quarta, 16h
Domingo, 22h

• Programa UNIDIVERSIDADE
 Tema: Homeopatia no SUS
○ O episódio fala dos serviços de homeopatia oferecidos hoje pelo Sistema Único de Saúde, um atendimento onde a escuta e o vínculo entre médico e paciente são fundamentais.
 Unidiversidade: Quinta, 16h
Domingo, 14h30

• Programa HISTÓRIAS DE MÃE
 Tema: Exercício físico na gravidez e a escolha da escola
○ Atividade física na gravidez. Será que a gestante pode praticar exercício? Fomos a um estúdio de Pilates descobrir como uma mãe está cuidando do corpo e da saúde. E ainda, o que uma ginecologista/obstetra diz a respeito de atividade durante a gestação. E mais, você pretende colocar seu filho(a) na escola? Então, está na hora de começar a buscar as melhores opções. O "Histórias de Mãe" te ajuda nessa decisão, com dicas e a história de uma mãe de 3 crianças.
 Histórias de Mãe: Quarta, 20h30
Domingo, 13h30

• Programa FASE.DOC
 Tema: Depressão
○ Houve um tempo em que sentimentos como tristeza excessiva, pessimismo exagerado e até vontade de acabar com a própria vida eram matéria-prima para os poetas. Sonetos, poemas e canções já brotaram da pena de autores atormentados por uma série de sensações muito parecidas com o que hoje se conhece como depressão. Mas com o passar do tempo, cada vez mais e mais pessoas vêm sendo atingidas por esse mal, que passou inclusive a ser chamado de “mal do século”. E, em vez de belas obras, o que se vê são vidas perdendo sentido e até sendo destruídas. Este especial, produzido pelo Canal Saúde, investiga como a sociedade contemporânea tem contribuído para o aumento da depressão.
 FASE.Doc: Terça, 18h Domingo, 20h

• Programa SALA DE CONVIDADOS
 Tema: Menos Açúcar e Mais o Que?
○ Primeiro foi a campanha para diminuir o sal. Agora é a vez do açúcar, que passa a ser substituído por outros produtos que prometem também adoçar. Açúcar demais faz mal. Aliás, quando o açúcar faz bem? Esse é o assunto deste episódio do Sala de Convidados.
 Sala de Convidados: Segunda, 21h Sábado, 15h

• Programa: BATE-PAPO NA SAÚDE
 Tema: Mídia e Democracia
○ O programa discute a democratização da mídia e o olhar da imprensa internacional sobre os recentes eventos políticos ocorridos no Brasil.
 Bate-papo na Saúde: Quinta, 8h30
Sábado, 19h

• Programa: CURTA AGROECOLOGIA
 Tema: Arroz Ecológico
○ O programa trata da abertura oficial da colheita do arroz agroecológico que mostra a qualidade e as possibilidades que um assentamento de reforma agrária tem para o Brasil. 
Curta Agroecologia: Segunda, 16h Sábado, 22h


Veja também os noticiários: Resumo da ONU e Em Pauta na Saúde em 4

horários: 4h30, 10h30, 16h30 e 22h30

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Único vestibular para cursar Medicina em 2017 na FMP/Fase está com inscrições abertas


As inscrições para o Vestibular de Medicina, da Faculdade de Medicina de Petrópolis (FMP/Fase), estão abertas. Os interessados em começar os estudos na FMP em 2017 devem estar atentos, pois não haverá o Vestibular Unificado da Cesgranrio em janeiro do ano que vem. Portanto, essa será uma oportunidade única. A prova do Vestibular Isolado será aplicada no dia 09 de outubro, em Petrópolis e no Rio de Janeiro.
Devido à qualidade do curso, o MEC autorizou que mais vagas fossem oferecidas a partir deste processo seletivo, totalizando 150. As inscrições ocorrem de 24 de agosto a 20 de setembro de 2016, no site da Fundação Cesgranrio (www.cesgranrio.org.br). Como segunda opção neste vestibular, o candidato poderá optar, além da Medicina, por Odontologia na FMP/Fase, pois serão oferecidas 10 vagas para o curso. Todas as vagas para Odontologia e algumas das vagas para Medicina serão disponibilizadas também via Enem 2015.

A FMP recebeu, em 2009, o conceito institucional máximo fornecido pelo Ministério da Educação, alcançando nota 5. A conquista desse resultado se deve principalmente à qualidade dos professores e colaboradores, aliada a um programa curricular avançado, infraestrutura de laboratórios, biblioteca, espaços de convivência, auditórios e salas de aula sem igual na Região Serrana, e cenários de prática integrados à rede pública de saúde, que permitem aos alunos desenvolverem as habilidades técnicas necessárias a uma boa formação profissional. A instituição ainda conta com Programas de Residência Médica, cursos de pós-graduação, nas áreas de saúde e negócios, e de extensão em diversas áreas do conhecimento.

A FMP/Fase, em parceria com o Petrópolis Convention & Visitors Bureau, oferece descontos em hotéis e pousadas aos vestibulandos que realizarem a prova em Petrópolis, incluindo seus familiares, conforme lista disponibilizada no site: http://fmpfase.edu.br/vestibularMed/.

Os interessados também podem entrar em contato com a Central de Vestibular pelo telefone: (24) 2244-6468 ou pelo e-mail cpe@fmpfase.edu.br.

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Programação da Semana de 21 a 27 de agosto de 2016

PROGRAMAS PRODUZIDOS PELA FASE TV: 


Programa EM QUESTÃO 
Tema: Trabalho Temporário 
○ Ampliar a rede de relacionamentos, colocar as habilidades em prática, experimentar uma nova cultura organizacional. Vantagens que fazem parte do trabalho temporário e que vão muito além da remuneração. Para os mais jovens, as vagas temporárias são uma porta de entrada para o mercado. Para quem está desempregado, ou parado há algum tempo, uma oportunidade de recolocação. E do ponto de vista de gestão? Quais são os desafios que a contratação e a gestão de equipes temporárias apresentam? Quem responde a essas questões é a professora da FMP/Fase, Luciene Baptista, Doutora e mestre em Administração e especialista em Gestão de Recursos Humanos, a convidada especial deste episódio.
Em Questão: Segunda, 20h;  Terça, 21h30;  Quarta, 22h30;  Quinta, 21h30;  Sexta, 22h;  Sábado, 14h30; Domingo, 13h e 22h30;

Programa ARTE & CULTURA 
Tema: Maurício de Memória – História & Arte 
○O programa apresenta o trabalho do artista plástico Maurício de Memória, criador do Centro Cultural Multimídia de Arte Contemporânea Piccola Arena, no Rocio, em Petrópolis. O espaço, cercado pela Mata Atlântica, conta com duas amplas galerias de artes e um teatro de arena a céu aberto. No episódio, o artista fala de seus projetos e da influência de fatos marcantes, como a ditatura, em sua obra. Uma vida permeada por duas paixões que se uniram: a história e a arte. Maurício, que está aposentado do magistério - foi professor adjunto de história da UFRJ – não se afastou totalmente do ensino: no Piccola Arena, apresenta aos alunos de escolas da região as diferentes possibilidades das linguagens artísticas, como pintura, escultura e desenho. 
Arte & Cultura – Segunda, 21h30;  Terça, 20h;  Quarta, 20h30;  Quinta, 22h30;  Sábado, 17h;  Domingo, 20h30;

• Programa Ao Redor 
Tema: Papo Reto: 
○ O episódio apresenta um exemplo do programa conjunto da ONU “Segurança com Cidadania”: o projeto Papo Reto, desenvolvido na Grande São Pedro, próxima a Vitória, no Espírito Santo. Um dos focos principais do trabalho é acabar com a rejeição da comunidade em relação às forças policiais, mostrando um outro lado dos profissionais de segurança. 
Ao Redor: Terça, 11h; Quinta, 20h30; Domingo, 22h; 

Programa MINUTO FASE 
Tema: Projeto de Reciclagem (troca) 
○ Contribuir para um ambiente mais limpo é uma forma de evitar doenças decorrentes do acúmulo de lixo e dos vetores que eles atraem, como insetos e ratos. Com esse objetivo, alunas do curso de enfermagem da FMP/Fase iniciaram um projeto de reciclagem na comunidade da Estrada da Saudade, em Petrópolis. As famílias que participam do programa trocam materiais recicláveis por mantimentos, na unidade de saúde do bairro.
Minuto Fase: Nos intervalos, ao longo da programação. 

Programa FAIXA INTERATIVA: 

 DOMINGO: 

ARTE & CULTURA – CIA DE TEATRO LIVRO ABERTO

SEGUNDA-FEIRA: 

ARTE & CULTURA – SEBASTIÃO BARBOSA + ETNOLOGIAS CULINÁRIAS

 TERÇA–FEIRA: 

EM QUESTÃO – MEDICINA PREVIDENCIÁRIA 

QUARTA-FEIRA: 

ARTE & CULTURA – METARECICLAGEM + IMAGEM & MEMÓRIA

QUINTA-FEIRA: 

EM QUESTÃO – SINDROMES CONVERSIVAS 

SEXTA-FEIRA: 

ARTE & CULTURA – JOVENS PIANISTAS + DJANIRA 

SÁBADO: 

EM QUESTÃO – SEM GLÚTEN & SEM LACTOSE 

Faixa Interativa: Diariamente em três horários: 7h, 12h e 19h 

PROGRAMAS PRODUZIDOS POR PARCEIROS DA FASE TV: 

Programa TOME CIÊNCIA 
Tema: Doenças da Amazônia 
○ As condições climáticas da Amazônia, quase sempre com calor e umidade, e a existência de águas paradas, facilitam a proliferação de mosquitos responsáveis pela transmissão da maioria das doenças chamadas de tropicais pela Organização Mundial da Saúde. O atendimento de saúde precário numa área tão extensa, a falta de saneamento e o desmatamento, agravam e dificultam o controle de doenças como a malária, a febre amarela e a leishmaniose. O que são essas doenças, os tratamentos e prevenção – e até a própria rotulação como doenças tropicais – são temas do debate com especialistas. 
Tome Ciência: Quarta, 16h; Domingo, 14h; 

Programa LIGADO EM SAÚDE 
Tema: Tosse 
○ A tosse é um mecanismo de defesa do sistema respiratório. Mas pode ser também um sintoma comum a muitas doenças. Desde as mais comuns, como um resfriado, até as mais sérias, como um câncer de pulmão. O programa fala dos diferentes tipos de tosse e da importância de investigar esse sinal. Ligado em Saúde: Terça, 21h; Quarta, 10h; Sábado, 11h; 

Programa CIÊNCIA & LETRAS 
Tema: O Vínculo Longitudinal como Dispositivo do Cuidado 
○ “Os profissionais da área da saúde necessitam compreender o indivíduo como um organismo unificado, onde mente e corpo, comportamento e emoção são entendidos como aspectos interligados do ser humano. O relacionamento interpessoal entre profissional e usuário se dá por base na comunicação entre quem cuida e quem é cuidado”. O trecho faz parte do livro “O Vínculo Longitudinal como Dispositivo do Cuidado”, objeto de debate neste episódio. Ciência & Letras: Domingo, 15h; Segunda, 22h30; Quinta, 20h;

Programa CANAL SAÚDE NA ESTRADA 
Tema: Salvador- BA 
○ O Canal Saúde na Estrada vai a Salvador, capital da Bahia, para mostrar um centro de referência do SUS para o tratamento do diabetes.
Canal Saúde na Estrada: Segunda, 16h30; Terça, 23h; 

Programa EM FAMÍLIA 
Tema: Inclusão de Alunos com Deficiência 
○ Há não muito tempo, o lugar de uma criança com deficiência era em casa ou numa escola especial. Nessa época, as escolas podiam recusar a matrícula desses alunos sob o argumento de que não tinham como atender suas necessidades. Mas hoje a legislação brasileira garante a inclusão de alunos com deficiência seja ela qual for, nas escolas regulares. Os desafios dessa inclusão são discutidos no programa desta semana. 
Em Família: Quarta, 20h; Domingo, 16h; Sábado, 22h; 

Programa UNIDIVERSIDADE 
Tema: Equidade do SUS 
○ No segundo programa sobre os princípios fundamentais do Sistema Único de Saúde, o Unidiversidade fala sobre a equidade. 
Unidiversidade: Quinta, 18h; Domingo, 10h e 16h30; 

Veja também os noticiários: Resumo da ONU e Jornal da Saúde em 4 horários: 6h35, 11h35, 18h35 e 23h35

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Perder faz parte

Rovena Paranhos (*)

Competir, por si só, pressupõe ganhadores e perdedores. Essa simples evidência parece, hoje, coisa de um passado distante, já que, na sociedade contemporânea, a competição se estabeleceu como modo de vida em tudo e para todos. Nesse sentido, perder e ganhar — situações que naturalmente se alternam — não mais se configuram como naturais. Ao contrário, ganhar, e ganhar sempre, passou a ser a obrigatória lógica atual. Mas não seria essa uma lógica ilógica? Um paradoxo? Um contrassenso? Uma irrealidade? Uma lógica perversa? Parece que sim. Dita lógica é perversa.
           
Perversa porque naturaliza o que não é natural; em qualquer competição há ganhadores e perdedores. Perversa porque, ao naturalizar o ato de ganhar sempre, não admite a derrota. Perversa porque, ao não admitir a derrota, não prepara quem quer que seja para ela; mesmo sendo uma condição inevitável para qualquer um a qualquer tempo. Perversa porque, ao não preparar quem quer que seja para inevitáveis derrotas, não permite que se aprenda a lidar com a frustração. Perversa porque ao não possibilitar a vivência natural da frustração, finda por pavimentar o caminho para a desistência e para o adoecimento.


Hoje, muito mais estamos sendo confrontados com notícias de desportistas que desistem de suas trajetórias, com desportistas que são pegos em exames de doping, com desportistas que fazem uso de substâncias psicoativas. Tudo isso leva a crer que a competição no esporte está perdendo sua finalidade última, qual seja a de ensinar a todos — sem exceção — que a vida é feita de sucessos e de fracassos, de vitórias e de derrotas. E que somente ao experimentar o fracasso de uma derrota, poderemos viver a plenitude do sucesso de uma vitória. O ganho de se permitir a vivência dessas experiências, sem sombra de dúvida, é o de pavimentar o caminho para uma vida física, mental e socialmente saudável.

(*) Coordenadora do Curso de Psicologia da FMP/Fase.