sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Acessibilidade é tema de treinamento para funcionários da FMP/Fase


Na última segunda-feira (18), a Faculdade Arthur Sá Earp Neto (FMP/Fase), através da Comissão de Acessibilidade da instituição de ensino, promoveu um treinamento para os seus colaboradores, com o objetivo de capacitá-los no processo de atendimento adequado às pessoas com deficiência auditiva.

"Esse treinamento é de extrema importância, pois estamos sendo capacitados para receber pessoas que têm algum tipo de deficiência. Para mim, foi um pouco mais fácil aprender Libras, pois já tenho a experiência de me comunicar com a minha irmã, que é deficiente auditiva. Assim como ela, as amigas que também são deficientes auditivas se preocupam com a vida acadêmica, pois há essa dificuldade de comunicação", explica Amanda Boaventura, funcionária da FMP/Fase.

A demanda de capacitação dos funcionários foi identificada pelos docentes do curso de Libras e pela Comissão de Acessibilidade, uma vez que a FMP/Fase tem o compromisso de acolher e oferecer toda estrutura adequada às pessoas que necessitam de atendimentos diferenciados.

"Estamos trabalhando a acessibilidade das comunicações. Então, aprender a se comunicar com um deficiente auditivo, através da língua dos sinais, é extremamente relevante em qualquer ambiente. Ao incentivar que nossos funcionários se capacitem, estamos abrindo um leque de possibilidades, pois eles poderão utilizar os conhecimentos não só dentro da instituição, como também na vida pessoal”, destaca Ana Carolina de Sá Earp de Resende Chaves, integrante da Comissão de Acessibilidade da FMP/Fase.

Todo início de semestre, a FMP/Fase oferece uma matéria eletiva de Libras, segunda língua oficial do Brasil, para os funcionários que queiram participar. Além disso, a faculdade investe em outras formas de acessibilidade, como a pedagógica, de infraestrutura física e também digital.

"Há três anos, temos um curso de Libras específico para os funcionários. A inclusão é muito importante, pois quando uma pessoa com deficiência auditiva chega em uma instituição se sente desesperada, porque é como se estivesse só integrada e não incluída. Libras é a segunda língua oficial do Brasil, conforme a lei 10.436. Essa informação é muito importante, pois mostra que existe uma estrutura gramatical e semântica como a língua portuguesa”, ressalta Luciane Cruz, professora do curso de Libras da FMP/Fase, que é deficiente auditiva.

A FMP/Fase também disponibiliza ampla estrutura para atender às demandas de pessoas portadoras de algum tipo de limitação física. O campus universitário conta com banheiros, telefones públicos, bebedouros e elevadores adaptados, além de uma cadeira de rodas, que pode ter seu uso solicitado na recepção, vagas reservadas no estacionamento, balcões baixos, que permitem que um cadeirante possa usá-los, e cadeiras para canhotos e obesos nas salas de aula. Além disso, as entradas do elevador, as escadas e as rampas do campus contam com piso tátil. A FMP/Fase também mantém uma cartilha atualizada com orientações sobre acessibilidade no campus, disponível para consulta nos balcões de atendimento e no site da faculdade.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Departamento de Comunicação Faculdade Arthur Sá Earp Neto e Faculdade de Medicina de Petrópolis