segunda-feira, 14 de maio de 2018

Semana de Odontologia da FMP/Fase debate fissuras labiopalatinas


“Fissuras labiopalatinas: a importância do tratamento interdisciplinar” será o tema dos debates da 1ª Semana de Odontologia da FMP/Fase, no dia 6 de junho, das 8h30 às 18h30, em Petrópolis. A primeira palestra do encontro abordará “A importância do tratamento interdisciplinar das malformações congênitas faciais mais comuns em todo o mundo”, com o cirurgião plástico Henrique Cintra. Ele atua há 20 anos nas missões humanitárias da ONG Operação Sorriso, que realiza gratuitamente cirurgias em pacientes com as fissuras, reunindo profissionais de várias áreas.

As fissuras podem ser labial, com fenda no lábio superior, conhecida como “lábio leporino”, ou palatina, no céu da boca, mas há casos em que crianças nascem com as duas. “A fissura labiopalatina representa a principal alteração craniofacial, acometendo um em cada 650 nascidos vivos no Brasil. Sua etiologia é multifatorial e seu tratamento deve ser interdisciplinar. Por isso, é necessário sempre estar atualizado para que diagnóstico, tratamento e manejo com o paciente e família sejam aplicados de forma correta”, explica o professor do curso de Odontologia da FMP/Fase Bruno Dias, responsável pelo evento, ao lado de uma comissão organizadora composta por dez alunos.

A coordenadora do curso, Vera Soviero, ressalta o aspecto multiprofissional na abordagem do problema no evento e o fato de ele ter sido escolhido pelos próprios alunos. “A escolha do tema foi muito feliz, pois a fissura labiopalatina é um excelente exemplo de condições para as quais o trabalho multiprofissional é essencial para atingir resolutividade e proporcionar o melhor tratamento para os pacientes. Temos como objetivo a formação de profissionais que compreendam a importância e tenham competência para o trabalho em equipe”, diz Vera.

Segundo Vera, a 1ª Semana de Odontologia da FMP/Fase reunirá profissionais e alunos da Odontologia, Medicina, Enfermagem, Nutrição e Psicologia para debater o assunto de maneira abrangente. “Embriologia e anatomia das fissuras labiopalatinas” será o tema da palestra do cirurgião bucomaxilofacial Edelto dos Santos Antunes e, na sequência, os “Aspectos genéticos das fissuras labiopalatinas” serão abordados pela bióloga e geneticista Mariana Acquarone, ambos professores da faculdade. Já as cirurgias primárias serão comentadas pelos cirurgiões plásticos Diogo Franco, da UFRJ (queiloplastia unilateral), Henrique Cintra, da UERJ (queiloplastia bilateral) e Marcio Arnaut, da UFF (palatoplastia), tendo o colega João Medeiros como moderador do debate.

“A atuação do pediatra diante das malformações faciais” será explicada pelo responsável da Pediatria Médica da FMP/Fase, Álvaro Veiga. A psicóloga Lucimara Rase, do Centro de Tratamento de Anomalias Craniofaciais (CTAC/UERJ), falará sobre “A atuação do psicólogo no tratamento de pacientes com fissura labiopalatina: tratando dos pacientes e de toda a família”. Já “A atuação da Enfermagem no tratamento de pacientes com fissura labiopalatina” vai ser enfocada pelo enfermeiro Renato Duarte Guimarães, professor da FMP/Fase. Caberá à fonoaudióloga e nutricionista Scheila Marques falar sobre “Amamentação e cuidados nutricionais dos pacientes com fissura labiopalatina”. Depois, ocorrerá um debate moderado por Vera Soviero.

Outro painel explicará o “Impacto das cirurgias primárias no crescimento facial”, com a ortodontista Isabella Holz; o “Manejo de crescimento no paciente com fissura labiopalatina”, com o ortodontista David Alencar (CTAC/UERJ); o “Enxerto ósseo alveolar secundário”, com o cirurgião bucomaxilofacial Alexandre Canonice (CTAC/UERJ); e o “Enxerto ósseo alveolar e implantes osseointegráveis”, com o também cirurgião bucomaxilofacial Thiago Schneider (CTAC/UERJ).

Nos últimos painéis do dia, o “Tratamento ortodôntico no paciente com fissura labiopalatina” será comentado pelo coordenador da pós-graduação em Ortodontia da FMP/Fase, Aldir Cordeiro, e a “Cirurgia ortognática no paciente com fissura labiopalatina”, por Bruno Dias. Antes do encerramento do evento, ocorrerá um debate moderado pelo coordenador da Especialização em Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial da FMP/Fase, Ricardo Tesch.

As inscrições para a 1ª Semana de Odontologia (R$ 15, para estudantes, e R$ 30, para profissionais) podem ser feitas através do site www.fmpfase.edu.br.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Departamento de Comunicação Faculdade Arthur Sá Earp Neto e Faculdade de Medicina de Petrópolis